Ir para o conteúdo principal
Representação em Portugal
Notícia20 de julho de 2023Representação em Portugal

Eurobarómetro: A maioria dos europeus considera que a transição ecológica deve ser mais rápida

painés solares energia renovável pacto ecológico europeu comissão união europeia

De acordo com um novo inquérito Eurobarómetro publicado hoje, a grande maioria dos europeus (93 %) considera que as alterações climáticas são um problema grave que o mundo enfrentaMais de metade (58 %) consideram que é preciso acelerar a transição para a economia verde, face à escalada de preços da energia e às preocupações com o aprovisionamento de gás após a invasão da Ucrânia pela Rússia. Do ponto de vista económico, 73 % dos europeus concordam que o custo dos danos causados pelas alterações climáticas é muito mais elevado do que o investimento necessário para a transição ecológica. E três quartos (75 %) dos europeus concordam que a adoção de medidas de ação climática conduzirá à inovação.

Apoio à redução das emissões, às energias renováveis e à eficiência energética

Quase nove em cada dez europeus (88 %) concordam que as emissões de gases com efeito de estufa devem ser reduzidas ao mínimo, compensando simultaneamente as restantes emissões para tornar a UE climaticamente neutra até 2050. Cerca de nove em cada dez europeus (87 %) consideram importante que a UE estabeleça metas ambiciosas para aumentar a utilização de energias renováveis, e um número semelhante (85 %) considera importante que a UE tome medidas para melhorar a eficiência energética, por exemplo, incentivando as pessoas a isolarem as suas casas, instalarem painéis solares ou comprarem automóveis elétricos. Sete em cada dez respondentes (70 %) consideram que a redução das importações de combustíveis fósseis pode aumentar a segurança energética e beneficiar economicamente a UE.

Cidadãos empenhados em ações individuais e reformas estruturais

A grande maioria (93 %) dos cidadãos da UE está já a tomar medidas individuais em resposta às alterações climáticas e a fazer conscientemente escolhas sustentáveis na sua vida quotidiana. Contudo, quando questionados sobre quem é responsável pela luta contra as alterações climáticas, os cidadãos sublinharam a necessidade de realizar outras reformas que acompanhem a ação individual, referindo também a responsabilidade dos governos nacionais (56 %), da UE (56 %) e das empresas e da indústria (53 %).

Os cidadãos europeus sentem também a ameaça das alterações climáticas na sua vida quotidiana. Em média, mais de um terço dos europeus sentem-se pessoalmente expostos a riscos e ameaças ambientais e climáticos, com mais de metade a sentir-se desta forma em sete Estados-Membros, principalmente no sul da Europa, mas também na Polónia e na Hungria. 84 % dos europeus concordam que a luta contra as alterações climáticas e as questões ambientais deve ser uma prioridade para melhorar a saúde pública, enquanto 63 % dos inquiridos concordam que a preparação para os impactos das alterações climáticas pode ter resultados positivos para os cidadãos da UE.

Contexto

O Eurobarómetro Especial n.º 538 sobre as alterações climáticas procedeu a um inquérito junto de 26 358 cidadãos de diversos grupos sociais e demográficos nos 27 Estados‑Membros da UE. O inquérito foi realizado entre 10 de maio e 15 de junho de 2023. Todas as entrevistas foram realizadas presencialmente em casa das pessoas ou por interação vídeo à distância.

Os resultados do último «Eurobarómetro Standard primavera de 2023», recentemente publicado em 10 de julho, estão em plena consonância com os do presente inquérito específico sobre as alterações climáticas. O Eurobarómetro Standard revelou que os cidadãos da UE continuam a apoiar esmagadoramente a transição energética, consideram o ambiente e as alterações climáticas como uma das questões importantes que a UE enfrenta e esperam um investimento maciço em energias renováveis.

Pacto Ecológico Europeu constitui a principal prioridade da Comissão Europeia. Transformará a UE numa economia verde moderna, eficiente na utilização dos recursos e competitiva, sem deixar ninguém nem nenhum lugar para trás. A Lei Europeia em matéria de Clima estabelece um objetivo juridicamente vinculativo de neutralidade climática até 2050 e introduz a meta intermédia de redução das emissões líquidas de gases com efeito de estufa em, pelo menos, 55 % até 2030, em comparação com os níveis de 1990, com o chamado pacote Objetivo 55 de propostas legislativas. Este pacote legislativo está atualmente numa fase bastante avançada com vista à sua adoção. Os recentes progressos no Regulamento Restauração da Natureza, no Regulamento Desflorestação e nas iniciativas para promover produtos sustentáveis e reduzir os resíduos de embalagens assegurarão igualmente que a União Europeia ponha termo à perda de biodiversidade e realize a transição para a economia circular.

Mais informações 

Eurobarómetro Especial sobre as alterações climáticas

Concretizar o Pacto Ecológico Europeu

Objetivo 55: acompanhamento das propostas da Comissão

Lei Europeia em matéria de Clima

Citação

"Os cidadãos europeus compreendem a ameaça das alterações climáticas e continuam a apoiar a ação climática da UE, dos governos nacionais, das empresas e das próprias pessoas. Reconhecem os riscos a longo prazo colocados pelas crises do clima e da biodiversidade, mas também a oportunidade de construir um futuro melhor, mais saudável e mais seguro se agirmos agora na transição ecológica. Os resultados deste inquérito reafirmam com segurança que o apoio popular para avançar com o Pacto Ecológico Europeu continua a ser tão elevado como nunca. Cabe aos políticos e aos decisores políticos ter em conta este apelo."

Frans Timmermans, vice-presidente executivo do Pacto Ecológico Europeu - 19/07/2023

Informação detalhada

Data de publicação
20 de julho de 2023
Autor/Autora
Representação em Portugal